Mulher Maravilha

Elke Grunupp, Melissa Vassiliki, Elke Evremidis e apenas Elke, antes de ser conhecida como Elke Maravilha. Lembrada por muitos como uma personalidade televisiva, Elke foi atriz, modelo, cantora e poeta. Mas também foi presa política por seis dias quando peitou a ditadura, em 1971. Foi a modelo mais requisitada do país ainda que sua personalidade forte atropelasse sua carreira. Foi mulher de oito. Foi madrinha de ao menos oito mil. Foi apátrida. Foi alcoólatra. Foi funcionária de Silvio Santos e foi uma das maiores antagonistas de Silvio Santos. Foi rica e foi pobre. Foi uma pessoa trágica, mais do que dramática. Foi uma das primeiras mulheres a afirmar em rede nacional de televisão que havia feito um aborto. Depois dois. Depois três. Foi uma pessoa que escolheu viver sob o signo da alegria. Foi uma ermitã nos últimos momentos. Elke Maravilha foi uma das pessoas mais famosas do Brasil. Sua história, com acontecimentos suficientes para encher quatro ou cinco vidas, nunca foi contada por inteiro. Até agora. Do premiado jornalista Chico Felitti, autor de Ricardo & Vânia, Mulher Maravilha é a biografia de Elke, a mulher que você conhece, nem que seja só de vista. Foto de capa: David Zingg